No meu consultório é comum receber pessoas com queixas relativas ao transtorno obsessivo compulsivo. (TOC)

O TOC caracteriza-se por sintomas como obsessões e/ou compulsões também conhecidos como rituais.

Transtorno obsessivo compulsivo

O que são as obsessões?

As obsessões são caracterizadas por pensamentos intrusivos e indesejáveis, que invadem a mente contra a vontade do indivíduo, provocando extrema ansiedade, medo e desconforto causando prejuízo nas relações interpessoais no trabalho e no dia a dia do indivíduo.

As obsessões podem ocorrer ao tocar uma torneira, usar o banheiro, tocar a maçaneta, ao cumprimentar pessoas, etc e podem se caracterizar através de cenas, palavras, músicas, números.As mesmas se manifestam através de preocupações com germes, sujeira, medos de contaminação, necessidade de ter certeza, e  medo frente a possibilidade de cometer falhas. Conteúdos relativos a violência e de ofensa a Deus, superstição, simetria e acumulação também são recorrentes.

O que são as compulsões/rituais?

Na tentativa de neutralizar os pensamentos obsessivos, e afastar ao conteúdo ameaçador, o indivíduo passa a ter comportamentos considerados compulsivos, os rituais, e passa também a evitar determinadas situações com o intuito de obter um alívio da angústia provocada pelas obsessões.

Este comportamento dá a falsa sensação de controle e segurança, mas forma um ciclo vicioso, onde o indivíduo se vê refém dos seus próprios pensamentos e comportamentos. A compulsão gera um alívio momentâneo, isto faz com que haja a persistência do mesmo.

Como tratar?

A Terapia Cognitivo Comportamental é bastante eficaz para tratar do TOC. O trabalho da  parte comportamental para impedir as checagens, aliado ao trabalho  das crenças disfuncionais que estão contribuindo para que o indivíduo mantenha o transtorno e permaneça no comportamento obsessivo compulsivo auxilia o indivíduo a diminuir sua avaliação excessiva do risco, a responsabilidade frente as situações da vida, os pensamentos e a necessidade de controle sobre eles, assim como o perfeccionismo e intolerância à incerteza.

Gostou do artigo?! Ajude a compartilhar!

Por: Andrea Guimarães Rothschild

Pin It on Pinterest

Abrir
Precisa de ajuda?