A palavra fobia, vem de phobos. Fhobos, na mitologia grega é filho de Ares e Afrodite . Ele acompanha Ares nos campos de batalha, provocando nos inimigos o medo.

Quando existe um medo improvável de algo que cause dano,que seja irracional, desproporcional à situação apresentada, dizemos que é uma fobia.

A fobia nada mais é que um medo de uma intensidade alta, com relação a algo. Isto pode atrapalhar de modo significativo a rotina de uma pessoa, caso não seja adequadamente tratado.

O mecanismo  que as pessoas encontram para lidar com  a fobia é normalmente a evitação. A pessoa evita situações que possam desencadear esta fobia, pelo fato de ser muito aversivo para ela. Fazem parte do quadro de transtornos de ansiedade.

As fobias mais comuns são:

  • Agorafobia: caracteriza-se pelo medo de multidões, gera ansiedade em estar em  ambientes desconhecidos,onde as pessoas percebem que tem pouco controle.
  • Fobia social: agora denominado transtorno de ansiedade social, é um transtorno de ansiedade, onde o indivíduo sente tensão nervosa, medo e desconforto diante da exposição à avaliação social, e quando é preciso  interagir com outras pessoas.
  • Claustrofobia: é uma fobia situacional, envolve o medo de espaços fechados.
  • Aracnofobia: é a fobia de aranhas. O indivíduo que possui fobia de aranha costuma manter distância de locais onde possa existir aranha. Fato que pode restringir a vida da pessoa.
  • Coulrofobia: comum entre crianças, o medo de palhaços também pode ocorrer com adolescentes e adultos. Às vezes o medo é adquirido após experiências traumáticas com um indivíduo em específico, ou após ver a figura de um  palhaço ameaçador na mídia.
  • Acrofobia: caracteriza-se por um medo irracional de altura.
  • Tripofobia:  caracteriza-se por um medo irracional de imagens ou objetos que tenham buracos ou padrões irregulares, como favos de mel, madeira, plantas, esponjas, buracos na pele

As pessoas com fobia podem ter ataques de pânico quando expostas à situações em que entrem em contato com o objeto temido, e podem ter os seguintes sintomas: sudorese, pulso acelerado, inquietação, respiração rápida, taquicardia e náuseas.

No momento atual, pode haver um aumento dos casos de fobia, já que as fobias estão ligadas ao aumento de ansiedade. A boa notícia é que isto tem tratamento.

O tratamento ideal é a terapia de exposição, onde a pessoa gradativamente aprende a não ter mais medo do objeto temido, ao mudar a sua percepção do mesmo. O tratamento também pode ser combinado à medicação, para auxiliar no enfrentamento do problema.

Além disso, é sempre bom lembrar que o medo, quando não é exagerado tem a função de nos proteger e nos auxiliar a enfrentar as coisas do dia a dia, portanto sentir medo, nas devidas proporções é algo saudável.

Por: Andrea Guimarães Rothschild

Pin It on Pinterest